Ratos

Os roedores mais comuns em nosso meio são os ratos de telhado, camundongos e ratazanas.

Números assustadores:

A população de roedores é superior à humana nos grandes centros urbanos.

Estes animais se proliferam rapidamente, a fêmea do rato de telhado, por exemplo, está apta a se reproduzir aos 3 meses.

Sua gestação é de 22 dias, se reproduzindo de 6 a 12 vezes por ano, com uma média de 12 filhotes por cria.

A fêmea do camundongo tem de 5 a 6 ninhadas por ano gerando de 3 a 8 filhotes em cada uma delas;

A fêmea do rato de forro tem de 4 a 8 ninhadas por ano gerando de 7 a 12 filhotes em cada uma delas;

A fêmea da ratazana tem de 8 a 12 ninhadas por ano gerando de 7 a 12 filhotes em cada uma delas.

Curiosidades:

Os ratos têm a necessidade de roer, para gastar os dentes que crescem incessantemente

Os ratos das espécies Rattus norvegicus e Rattus rattus urinam várias vezes ao dia e em pequenas quantidades, aproximadamente 40 vezes.

Doenças:

Temos catalogadas cerca de 200 doenças transmitidas por roedores, destacando-se:

Leptospirose: Doença infecciosa causada por uma bactéria.

Sua transmissão nos grandes centros urbanos ocorre através da urina dos ratos.

Os sintomas são febre, dores de cabeça e no corpo, sensação de cansaço e calafrios. Os casos mais graves podem levar à morte.

Tifo: O tifo epidêmico é uma doença transmitida por piolhos, parasitas comuns no corpo humano, e causada pela bactéria Rickettsia prowazekii.

Sarnas: São doenças de pele contagiosas, transmitidas aos animais e eventualmente ao homem através do contato direto com ácaros que são parasitas microscópicos.

Salmonelose: Intoxicação alimentar causada por uma bactéria.

Os sintomas mais comuns são diarréia intensa, náuseas, vômitos, febre e dores abdominal e de cabeça.

Micoses: São infecções causadas por fungos que atingem a pele, as unhas e os cabelos.

Prejuízos:

Perda anual de até 8% da produção mundial de cereais e raízes;

Cada roedor costuma comer por dia o equivalente a 10% de seu peso;

Contaminação dos alimentos por urina e fezes;

Desperdício pelo rompimento de sacarias e outras embalagens;

Acidentes devido aos danos causados em fios e cabos de máquinas e instalações elétricas;

Presença de ruídos e chiados em ligações telefônicas.

Fonte: www.aprag.org.br